Ações concretas no enfrentamento dos problemas de saúde mental

A Organização Mundial da Saúde (OMS) e a Organização Internacional do Trabalho (OIT) têm chamado a atenção para a necessidade de ações concretas no enfrentamento dos problemas de saúde mental no ambiente de trabalho.

Estima-se que a depressão e a ansiedade resultem na perda de 12 bilhões de dias de trabalho anualmente, causando um prejuízo de quase um trilhão de dólares à economia global. Nesse contexto, a OMS lançou as diretrizes globais sobre saúde mental no trabalho, juntamente com uma nota conjunta da OMS/OIT, que visam abordar essa questão de forma prática.

Impacto da Falta de Segurança psicológica no trabalho

Os impactos da falta de segurança psicológica no trabalho são significativos, afetando negativamente tanto a produtividade quanto o bem-estar emocional dos trabalhadores.

O Relatório Mundial de Saúde Mental da OMS revelou que, em 2019, cerca de 15% dos adultos em idade ativa sofreram algum transtorno mental. Além disso, o ambiente de trabalho pode amplificar problemas sociais, como discriminação e desigualdade, que têm um impacto direto na saúde mental dos colaboradores.

As diretrizes da OMS sobre saúde mental no trabalho destacam a importância de enfrentar os riscos para a saúde mental, como sobrecarga de trabalho e comportamentos negativos, que geram angústia no ambiente profissional. Uma das recomendações é o treinamento dos gestores para que possam evitar ambientes de trabalho estressantes e responder de forma adequada aos colaboradores em situação de risco.

Além disso, as diretrizes também propõem acomodar melhor as necessidades dos trabalhadores com condições de saúde mental, oferecendo intervenções que facilitem o retorno ao trabalho e promovendo a entrada de pessoas com condições graves de saúde mental no mercado de trabalho remunerado. Vale ressaltar que as diretrizes também abordam a proteção dos profissionais de saúde, humanitários e de emergência.

Estratégias práticas para enfrentar o desafio

Para efetivar as diretrizes da OMS, é necessário que governos, empregadores, trabalhadores e suas organizações se empenhem em aplicar estratégias práticas. O objetivo é prevenir riscos para a saúde mental, proteger e promover a saúde mental no ambiente de trabalho e apoiar as pessoas com problemas de saúde mental, proporcionando condições favoráveis para que elas possam prosperar profissionalmente.

É fundamental investir na construção de uma cultura de prevenção em relação à saúde mental no trabalho, eliminando estigmas e exclusão social. Além disso, é importante garantir que os trabalhadores com condições de saúde mental se sintam protegidos e apoiados, promovendo um ambiente seguro e saudável.

Apesar de existirem convenções da OIT voltadas para a proteção da saúde e segurança dos trabalhadores, o Atlas de Saúde Mental da OMS revelou que apenas 35% dos países possuem programas nacionais de promoção e prevenção da saúde mental relacionados ao trabalho. É necessário um aumento significativo nos investimentos e na liderança para implementar as estratégias propostas.

Saúde mental no trabalho requer atenção e ação imediata

A saúde mental no trabalho é uma questão crucial que requer atenção e ação imediata. A segurança psicológica no ambiente profissional não apenas promove o bem-estar emocional dos colaboradores, mas também contribui para a produtividade e o desempenho das equipes. As diretrizes da OMS sobre saúde mental no trabalho e a nota conjunta da OMS/OIT fornecem orientações práticas para governos, empregadores e trabalhadores, visando à criação de um ambiente de trabalho seguro, saudável e inclusivo.

Para alcançar uma transformação efetiva, é necessário um comprometimento conjunto de todas as partes interessadas, bem como um investimento significativo em recursos e liderança.

Ao promover a segurança psicológica no trabalho, estamos construindo um ambiente onde os trabalhadores possam prosperar, contribuir para o sucesso da organização e desfrutar de um bem-estar emocional pleno. A saúde mental no trabalho é um desafio global que exige uma resposta unificada e urgente.

Fonte: Organização Internacional do Trabalho – OIT

Ouça nossos podcasts

No data was found